A Grande mãe psicodélica - Maria Sabina

Se você se considera um psiconauta ou é pelo menos um pouco familiarizado com a cena psicodélica, você provavelmente vai reconhecer nomes como Hofmann, McKenna, Leary e Grof. Cada um em sua própria maneira pioneira quando se trata de drogas psicodélicas.



Mas onde estão as mulheres do movimento psicodélico? Elas não parecem ser tão inclinado a entrar em cena. É por isso que nós estamos honrados apenas alguns dos mais notáveis ​​pioneiros do sexo feminino nesta pequena série.em falar um pouco sobre esta que é considerada a grande mãe psicodélica.
Nesta primeira parte falaremos um pouco sobre uma de suas especialidades, o curandeirismo de Maria Sabina.

María Sabina (1894 - 1985)

Alguns chamam ela de a mãe santa dos cogumelos sagrados, mas você está perdoado se você nunca ouviu falar dela. 
A mãe santa não estava nisso pela fama ou para convencer o mundo sobre os benefícios dos psicodélicos.
María Sabina era uma curandeira Mazatec (Xamã), vivendo em uma pequena cabana em Huautla de Jimenez, uma vila no sul do México. A sua atividade de cura foi baseada no uso de diferentes espécies de cogumelos Psilocybe. Em sua aldeia, María foi exaltada como uma "sabia"  Durante décadas, ela praticava suas artes de cura em inúmeras pessoas doentes.
Mais notavelmente, ela foi o primeiro xamã que permitiu que os ocidentais participassem de uma velada, um ritual de purificação Mazatec através do uso de cogumelos. Em 1955, Gordon Wasson ethnomycologist foi um dos primeiros ocidentais autorizados por Sabina a participar. Mais tarde, ele escreveu o famoso artigo da revista Life 'Buscando o cogumelo mágico ". Este artigo apresentou a existência de 'cogumelos mágicos' para o resto do mundo.

Wasson descreveu María como "uma mulher pura, imaculada, aquela que nunca usou sua vocação para o mal ... [a mulher] de poder moral e espiritual raro, dedicada em sua vocação, uma artista em seu domínio de técnicas de sua vocação ". (Wasson, 1980)

A chegada dos estrangeiros

Wasson tentou esconder sua identidade, referindo-se a Sabina sob o pseudônimo de 'Eva Mendez', mas o Ocidente logo encontrou e ela pagou um preço alto por compartilhar sua cerimônia sagrada. Em 1960, os turistas chegam aos montes procurando grandes emoções, Mária Sabina atendeu a todos, compartilhou suas vivencias e não deixou ninguém desamparado.
Mária então percebeu que sua cerimonia não tinha nenhum significado para os visitantes ocidentais, todos estavam em busca de fortes emoções, seu uso era apenas recreativo, isso á desapontou muito:
"Antes de Wasson, ninguém levou os meninos santos simplesmente para encontrar Deus Eles foram tomados para curar os doentes (...) Eles perderam sua força;.. Os estrangeiros estragaram tudo"
Mais tarde, Wasson concordou que "uma vez que o homem branco veio à procura de cogumelos, eles acabaram perdendo a magia".

Source:

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem