O “sonho” de Nikola Tesla: se tornará realidade na Nova Zelandia. Transmitir energia sem fio.

 O “sonho” de Nikola Tesla: se tornará realidade na Nova Zelandia ? transmitir energia sem fios

Uma empresa da Nova Zelândia está prestes a testar o grande sonho do inventor croata Nikola Tesla: transmissão de energia sem fios a longas distâncias.

Nikola Tesla foi um inventor nos campos da engenharia mecânica e electrotécnica. As suas experiências, conduzidas no Colorado, Estados Unidos, com transmissão de energia sem fios levaram a uma das suas propostas mais ousadas: alimentar o mundo com energia sem fios.

Na época, Tesla fez manchetes com os seus planos para um “sistema sem fios mundial” e ganhou financiamento do JP Morgan para construir a primeira de várias gigantes torres de transmissão.

No entanto, o sonho da energia sem fios de Tesla morreu pouco depois: JP Morgan cancelou financiamento adicional e a torre foi demolida.

Agora, a startup Emrod da Nova Zelândia pode conseguir fundir estes dois sonhos. A empresa está a construir um sistema para transmitir energia sem fios a longas distâncias. De acordo com o Singularity Hub, no início deste mês, Emrod recebeu financiamento da Powerco, a segunda maior concessionária da Nova Zelândia, para realizar um teste do seu sistema numa estação de energia comercial conectada à rede.

A empresa pretende levar energia a comunidades distantes da rede ou transmitir energia de fontes renováveis ​​remotas, como parques eólicos offshore.

O sistema consiste em quatro componentes: uma fonte de energia, uma antena transmissora, vários relés transmissores e uma retena.

A antena transmissora transforma eletricidade em energia de microondas – uma onda eletromagnética como as ondas de rádio de Marconi, mas mais energética – e concentra-a num feixe cilíndrico. O feixe de microondas é enviado por uma série de relés até atingir a retina, que o converte novamente em eletricidade.

Se funcionar como pretendido, o feixe nunca entrará em contacto com nada além do ar vazio. O sistema usa uma rede de lasers ao redor do feixe para detetar obstruções, como um pássaro ou pessoa, e desliga automaticamente a transmissão até que a obstrução passe.

A tecnologia de transmissão de energia via energia de microondas existe há décadas. Porém, para torná-la comercialmente viável, é necessário minimizar as perdas de energia. Kushnir disse que os metamateriais desenvolvidos nos últimos anos são os que fazem a diferença.

A empresa usa metamateriais para converter com mais eficiência o feixe de microondas em eletricidade. Os relés, que são como “lentes” que estendem o feixe além da linha de visão ao refocalizá-lo, quase não têm perdas. A maior parte das perdas acontece na outra ponta, onde a eletricidade é convertida em energia de microondas.

A eficiência do sistema é de cerca de 70%, o que carece de fios de cobre, mas é economicamente viável em algumas áreas.

Fonte

1 Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem